Há papel novo no pedaço!

Meus queridos bom dia, como é que está essa força? Já está tudo a rolar não é assim? Ora ainda bem! Minha gente já não falávamos de papeis de parede e tecidos há tanto tempo, mas hoje tinha que partilhar com vocês o lançamento novo da Thibaut de papeis de parede, que aposto, até os mais cépticos vão gostar! Não são papeis com demasiada informação visual, são ao invés papeis que investem na textura toda a sua beleza e aqui a vossa amiga tem o coração a balançar de tão lindos que são. E depois as cores, todos os neutros do meu coração, que nunca vos falham, nunca vos cansam e transformam a vivência da vossa casa, com uma atmosfera super confortável e acolhedora, ora espreitem…

Painted Desert

Painted Desert, deserto pintado! Confere este papel lembra assim umas dunas de areia, num degradé de cores maravilhoso. Existem 8 tons disponíveis, este e o bege são claro os meus favoritos.

Geode

O padrão deste papel de parede faz lembrar as pedras minerais, com o seu degradé de cores numas riscas, que quase que parecem pintadas a aguarela. Também há 8 cores maravilhosas e um blush lindo, lindo!

Woodrow

Querem apainelar uma parede a madeira mas sabem como fazer, nem a quem recorrer? Não procurem mais chegou o papel de parede, que juro parece uma folha de madeira finíssima, que vos vai dar o look que procuram! É maravilhoso e há 6 tons maravilhosos, entre eles o cinza e o branco, agora pensem!!!!

Ichia

Este maroto, não é novo, não faz parte do novo lançamento, mas eu adoro-o de morte! vejo-o numa suite, num corredor com portas branquinhas, acho-o classudo, bonito que se farta e por isso podem até nem ser novo, mas vocês não o esqueçam, porque eu também não! 7 cores de sonho e tecido a condizer.

Mombasa

Adoro prints tribais, mas este este é um tribal geométrico, que fica maravilhoso em casa mais contemporâneas ou com uma atmosfera mais tribal, é dos meus favoritos, também devia ser dos vossos!!!

Makena

Outro padrão tribal, quente que me faz tanto lembrar Africa! Amo! Quer dizer nem dá muito para descrever é só ver senhores! Como não gostar? Tenham juízo!

E a vontade que eu tenho de mexer na minha casa toda! Não preciso de mudar muito, porque felizmente sempre apostei em tons neutros, mas quero mais texturas, sabem? E sim, receber o Outono com mais temperatura em casa! E vocês, contem -me lá qual o vosso padrão favorito deste lote, gostava tanto de saber! 

Beijos e abraços meu povo, minha gente. Vemos-nos amanhã!

Se gostou partilhe com os seus amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

Posts Destacados

Há papel de parede novo, no pedaço!

Meus queridos bom dia, pois é há papeis novos no pedaço! Sim já sei, vocês podem estar um pouquinho cansados de papeis de parede, mas a vossa amiga só vos traz coisas bonitas, nada de coisas berrantes, demasiado elaboradas, só textura e um bocadinho de padrão!

Não é que estou balançada!!!

Ora bem como todos sabem, não deve haver ninguém que goste tanto e aconselhe tanto cozinhas brancas como eu! Quando há 11 anos atrás idealizei a minha cozinha, da qual gosto muito até hoje, foi de branco que a vesti. Móveis brancos , lacados a alto brilho, bancada em pedra branca sillestone e detalhes de decoração em preto. Passamos muitooooooooo tempo na cozinha, pelo que aconselho sempre que a mesma seja em tons neutros. Mas vocês perguntam-me “Oh Angelita, se fosse hoje voltarias a fazer a tua cozinha em branco?”

Projeto Novo – Projeto de amigos!

Ora bem, vocês sabem que a nossa actividade é a decoração de interiores, mas eu adoro TUDO, o que se prenda com casas, arquitectura, materiais de construção, paisagismo, tudo! E procuro sempre desafios novos, porque isso me alimenta e motiva

Caso de Estudo: O open space da J.!

Ora antes do Natal, um bom bocado antes, a J. contactou-me para a ajudar na decoração da casa nova, que lhe oferecia algumas dúvidas, mais concretamente no que diz respeito ao layout da sala. Ora a sala da J. é um grande open space, que engloba, hall, sala de estar e cozinha. Até aqui tudo bem! Mas o grande problema da J. prendia-se com o facto de não existir muito espaço para uma zona de refeições, dizia ela e nas palavras da própria “fica tudo muito apertado”.